O que é demissão silenciosa: quiet quitting

Demissão silenciosa - quiet quitting

Você sabe o que é demissão silenciosa ou quiet quitting? A resposta não se dá ao fato da pessoa pedir demissão ou ser desligada de uma forma discreta, silenciosa, ou sem que ninguém saiba. A demissão silenciosa acontece quando a pessoa se sente desmotivada, executa suas atividades com pouco empenho, e faz apenas básico para não ser demitida.

Quando a empresa percebe que isso está acontecendo precisa rever a sua cultura, o estilo de liderança, as competências socioemocionais do colaborador e investir em ferramentas que possam apontar o que precisa ser feito para minimizar essa situação.

Neste conteúdo, vamos conhecer sobre o que é a demissão silenciosa, sua relação com a saúde mental e como as organizações podem agir para reduzir esse problema cada vez mais comum no mercado de trabalho. Confira!

 

O que é demissão silenciosa

A demissão silenciosa, conhecida em inglês como quiet quitting, não é exatamente o que se pode sugerir, como deixar o emprego silenciosamente ou ser desligado de forma discreta.

Na verdade, a demissão silenciosa ocorre com bastante frequência no mercado de trabalho e é definida como o desenvolvimento do trabalho de uma forma básica, limitando-se a executar exatamente o que está definido na descrição do cargo.

Isso significa que o profissional em processo de uma demissão silenciosa, adere à uma atitude e prática de fazer somente o mínimo necessário do que é esperado dele, sem assumir responsabilidades além do que sua função estabelece.

Ademais, o colaborador cria limites próprios, não questiona ou traz melhorias no que lhe é solicitado. O profissional realiza a atividade forma que atenda as expectativas imediatas, mas aquém da qualidade do trabalho que de fato poderia ter sido realizado.

Assim, o profissional fez o que lhe foi solicitado, mas de forma básica e evitando um maior trabalho naquela atividade.

A demissão silenciosa, ou quiet quitting, também ocorre quando o funcionário se sente insatisfeito com a forma que é tratado dentro da empresa.

Por exemplo, o profissional que se acostumou ao home office, mas que foi obrigado a retornar ao trabalho presencial, pode ter decidido que não quer continuar na empresa, mas que também ainda não está pronto para se desligar. Sendo assim, volta a trabalhar presencial, mas de forma intencionalmente menos produtiva, fazendo apenas o básico necessário.

 

A relação entre a demissão silenciosa e a saúde mental

Por ser uma prática muito utilizada pelos profissionais da Geração Z, que tem como prioridade a qualidade de vida e a saúde mental no trabalho, a demissão silenciosa foi a forma que essa geração encontrou para estabelecer limites saudáveis quando percebem que a empresa não está investindo de forma adequada no bem-estar do seu corpo funcional.

Se durante anos, o excesso de trabalho era visto como algo positivo para muitos profissionais, assim como as horas extras eram esperadas pelos empregadores e custavam pontos positivos para a permanência do colaborador.

Atualmente, muitos profissionais priorizam evitar as crises de ansiedade, a síndrome de Burnout, o estresse e o cansaço físico e mental, que causam bloqueios de criatividade, a falta de motivação e engajamento, tentando executar suas atividades com excelência, respeitando seus limites e trabalhando em um ambiente positivo e com propósito.

É muito comum que quando a cultura organizacional permanece enaltecendo a sobrecarga de trabalho, os profissionais passam a estabelecer seus próprios limites, praticando a demissão silenciosa para se preservarem dos males causados pela falta de bem-estar no ambiente de trabalho.

 

Ações do RH para evitar o quiet quitting

Geralmente, quando o gestor percebe que os membros da equipe estão aderindo à demissão silenciosa, passam a ficar mais vigilantes e cobrar mais dos funcionários. Porém esse não é o melhor caminho, podendo causar desconforto e problemas no clima interno, e até mesmo estimulando o comunicado de desligamento por parte do colaborador que poderia ter sido recuperado.

O que é demissão silenciosa

O ideal é buscar alternativas para tornar o ambiente mais agradável, onde o colaborador comece a sentir prazer de estar, encorajando uma comunicação transparente, ouvindo o profissional e apoiando com seus anseios ou dificuldades.

Ademais, é fundamental revisar as descrições de cargos e verificar se os profissionais estão com um enquadramento adequado de cargos e salários, assim como faixa salarial por sua experiência e atuação. Caso o colaborador esteja executando além do esperado, poderá ser feita uma mudança de cargo, aumentando suas responsabilidades e sua remuneração, jamais perdendo a equipe de vista.

Além disso, o RH pode investir em estratégias e ferramentas, tanto para diagnosticar, quanto para reduzir o processo de demissão silenciosa e reverter esse quadro.

 

Avaliação de desempenho

A avaliação de desempenho é essencial para analisar a trajetória do profissional, entendendo seus pontos fortes e de melhoria e verificar se a sua estagnação ou baixo rendimento está relacionada a problemas de saúde mental ou na cultura da empresa.

 

Pesquisa de clima e engajamento

Realizar a pesquisa de clima e engajamento é fundamental para entender o clima interno e a visão dos colaboradores sobre as relações interpessoais, o ambiente e a motivação.

Com isso é possível identificar se os colaboradores se sentem sobrecarregados, se sofrem pressão excessiva, como a liderança atua na equipe e no que é necessário investir para alterar o cenário identificado.

 

Investimento nas pessoas

Já é uma realidade que as pessoas são o principal patrimônio de uma organização e, por isso, após identificar os gargalos que estão causando a demissão silenciosa é importante que os empregadores invistam em ações que façam com que os colaboradores se sintam novamente parte fundamental do negócio.

 

Dentre as ações podemos destacar:

 

Com essas estratégias será possível reter e estimular os melhores talentos da organização, fazendo-os voltarem a se engajar e a participarem ativamente dos resultados do negócio.

 

Conclusão

Saber o que é demissão silenciosa e o que a faz se tornar um fenômeno entre a geração que está entrando no mercado de trabalho é fundamental para que o RH e os gestores planejem estratégias para evitar que tal fato aconteça na organização.

Se você identificou que existe um profissional praticando a demissão silenciosa, ou um movimento de quiet quitting na empresa, é um sinal de que algo não está indo bem na relação com o colaborador, na gestão ou na cultura interna.

Aproveite essa oportunidade para conversar com o profissional ouvi-lo e readequar a rotina para recuperar o profissional e assim, evitar um turnover, ou um profissional na fica em sua equipe, mas que nivela por baixo.

Agora que você conhece sobre a demissão silenciosa (quiet quitting), leia nosso artigo sobre os indicadores estratégicos de RH e comece a mensurar os resultados das equipes.

O que é demissão silenciosa

CEO de Empresa de Recrutamento e Seleção e Headhunter Especializado

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Política de Cookies
Utilizamos cookies em nosso site para oferecer a você a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas e ajudando a economizar dados. Ao clicar em “Aceitar Cookies”, você concorda com o uso de cookies. Mais informações podem ser encontradas na Política de Privacidade do Site.