EnglishPortugueseSpanish
EnglishPortugueseSpanish

Benefícios flexíveis: você conhece?

Benefícios Flexíveis - Sim Carreira

Você já ouviu falar em benefícios flexíveis? Antes de se candidatar para participar de um processo seletivo ou até mesmo de fazer uma entrevista online, a grande maioria das pessoas pesquisa sobre a faixa salarial e os benefícios oferecidos pela empresa. Os benefícios corporativos são muito importantes e compõem o pacote de remuneração total do funcionário.

Com a pandemia, os funcionários ficaram ainda mais atentos aos benefícios oferecidos pela empresa, que, geralmente, são detalhados na proposta ou ao longo do processo de admissão de funcionários.

Uma das novas estratégias que vem sendo utilizada por empresas para atrair, reter os talentos e se destacar no mercado é o oferecimento de benefícios flexíveis. Neste artigo, vamos conhecer sobre os benefícios flexíveis, suas vantagens e desvantagens. Não perca a leitura!

 

Conceito de benefícios

Benefícios são vantagens concedidas pela empresa aos colaboradores como forma de complementar o salário. Esse atrativo pode ser concedido ao funcionário de diversas formas e cada organização pode possuir benefícios distintos de acordo com a sua cultura e entendimento da construção de um pacote de remuneração competitiva para atrair e reter seu corpo funcional.

 

Os principais benefícios concedidos pelas instituições são:

  • vale-transporte;
  • vale-refeição;
  • vale-alimentação ou cesta básica;
  • plano de saúde e odontológico;
  • auxílio-creche.

 

Algumas empresas investem ainda mais na atração e retenção dos seus talentos, oferecendo as seguintes vantagens, além daquelas listadas acima:

  • previdência privada;
  • auxílio-educação;
  • vale-cultura.
  • participação nos lucros;
  • convênio com academias e farmácias;
  • jornada flexível
  • home office;
  • entre outros

 

Essas vantagens podem ser oferecidas a todos os colaboradores registrados na empresa, de acordo com nível hierárquico, ou não, e são chamados de benefícios fixos.

 

A desvantagem em oferecer um pacote engessado de benefícios

Com tantas opções de incentivos para os colaboradores, nem sempre as empresas conseguem unanimidade entre os profissionais. Com o incentivo à igualdade de gênero e, muitas vezes, tendo as gerações X, Y e Z trabalhando em uma mesma organização, as necessidades dos funcionários pode ser distinta.

Por exemplo, um profissional da geração Z poderá não dar a mesma importância que um profissional da geração X quanto ao plano de saúde ou quanto a descontos em farmácias, pois como a geração Z compreende profissionais mais jovens, eles tendem a ter menos preocupações e problemas com saúde quando comparados às gerações em faixas etárias mais avançadas. O mesmo raciocínio poderia se aplicar ao auxílio-creche, que pode ser fundamental para um pai ou uma mãe, mas desnecessário para uma pessoa que escolheu não ter filhos.

 

Benefícios flexíveis: a inovação

Se em tempos passados a empresa não tinha alternativas para mudar o cenário em relação aos benefícios oferecidos pela empresa, atualmente ela pode contar com os benefícios flexíveis, abrindo um leque de opções para que seus funcionários possam escolher quais vantagens desejam incluir em seu pacote.

 

Como funciona

Existem algumas regras estabelecidas para que tudo permaneça sob controle durante essas escolhas. Por isso, é importante conhecer a dinâmica desse processo.

De uma forma geral, há um sistema de pontos que limita as opções. Por exemplo, o funcionário recebe 200 pontos e cada benefício tem um “peso”, que pode variar entre 10 e 50 pontos. Portanto, o colaborador pode escolher as vantagens que se encaixam em seu perfil, desde que não ultrapasse os 200 estabelecidos. A empresa também pode oferecer um crédito de um valor específico, como R$ 2.000, para o colaborador alocar como quiser dentro das opções de benefícios oferecidas pela empresa.

Geralmente, essas escolhas são semestrais ou anuais e não podem ser alteradas durante esse período. Então, é fundamental que o talento saiba quais são as suas reais necessidades, para que, ao escolher uma opção de lazer em detrimento a um eventual plano de saúde, entenda que se precisar de uma consulta médica deverá pagar de seu próprio bolso.

É importante lembrar que o funcionamento desse sistema varia de acordo com a empresa. Mas é importante destacar que o RH deve repassar todas as informações de forma precisa para evitar que a falta de alinhamento ou entendimento dificulte a implementação do sistema.

 

Implicações legais

A legislação trabalhista brasileira é muito rígida quando se trata de benefícios. Por esse motivo é fundamental que a transição do modelo de benefícios tradicional para a forma de benefícios flexíveis seja estabelecida em Acordo Coletivo de Trabalho. Dessa forma, a empresa não será prejudicada em casos de litígios judiciais.

Além disso, todos os profissionais deverão assinar os termos de consentimento e regras para adquirir o benefício e estarem cientes de todas as implicações que esse modelo de benefícios flexíveis estabelece.

 

Vantagens e desvantagens do modelo de benefícios flexíveis

Mesmo sendo uma novidade no mercado e com a legislação pouco favorável ao modelo de benefícios flexíveis, existem vantagens para que a empresa realize essa migração que não podem ser ignoradas.

É importante conhecer os prós e os contras, para decidir o que mais se encaixa com a cultura da empresa e suas metas para o futuro.

 

Vantagens

Compreender com mais clareza sobre as vantagens do modelo é o primeiro passo para iniciar a migração. O modelo de benefícios flexíveis tende a ser:

  • justo: pois propicia a todos os funcionários o poder de escolha dos benefícios que se encaixam melhor às suas necessidades;
  • inclusivo: pois garante que todos, independentemente de suas preferências, estejam mais satisfeitos com os benefícios recebidos;
  • eficaz: pois as equipes mais jovens, na faixa etária entre 20 e 30 anos, valorizam a liberdade de escolha;
  • motivador: pois a satisfação interfere diretamente na produtividade e no desempenho das equipes;
  • atrativo: pois impacta positivamente na atração e retenção de talentos;
  • indicador: pois o monitoramento eficaz das opções dos funcionários oferece dados importantes para a criação de estratégias de redução de custos com benefícios, pois a política de benefícios flexíveis permite mostrar aqueles benefícios que são pouco utilizados ou pouco valorizados pelos funcionários;
  • igualitário: pois as empresas multinacionais poderão adotar esse modelo, a fim de alinhar a política de benefícios com a praticada na matriz, já que o modelo flexível é empregado no exterior;
  • estratégico: pois a empresa tem a oportunidade de se destacar no mercado e fortalecer a sua marca empregadora.

 

Desvantagens

A principal desvantagem desse modelo de benefícios é que ele pode exigir mais planejamento e organização da equipe de Recursos Humanos da empresa.

O RH 4.0 deve estar em sintonia com os objetivos da empresa e a legislação, caso contrário, sem o devido acompanhamento, a empresa fica suscetível a riscos e pode sofrer prejuízos em caso de eventuais litígios judiciais.

 

Conclusão dos benefícios flexíveis

O modelo de benefícios flexíveis pode ser uma ferramenta para melhorar as estratégias de gestão de carreira do RH de sua empresa, mas é importante conhecer profundamente como implementá-los de forma segura e, a partir disso, colher os frutos desse investimento, com talentos motivados, engajados, felizes e produtivos.

Gostou do conteúdo da Sim Carreira? Complemente sua leitura com o artigo sobre salário emocional e aprofunde seus conhecimentos no assunto!

Precisa de ajuda?