Conheça o passo a passo do processo de admissão de funcionários

processo de admissão dos funcionários

Ao buscar uma recolocação no mercado, os candidatos se preocupam muito com as etapas de entrevistas, mas, muitas vezes, esquecem que todas as fases do processo de admissão de funcionários também são eliminatórias e essa desatenção pode acabar atrapalhando na escolha do profissional.

Compreender as particularidades de cada solicitação do RH é importante para que o aspirante à vaga se sinta mais seguro e cumpra todos os passos necessários para alcançar o esperada contratação e o primeiro dia no novo emprego.

O avanço em cada etapa de um processo seletivo é uma conquista, mas é preciso que você fique atento, pois sempre existem riscos entre o recebimento da proposta e o primeiro dia de emprego, assim como, caso se trate de uma vaga sob o regime da CLT, durante os primeiros 90 dias na função.

Não perca a leitura!

 

O processo seletivo

Esse é o primeiro passo na escolha de qual será o perfil mais adequado para o preenchimento da vaga. A maioria das empresas tem um plano de recrutamento, que nada mais é do que o passo a passo das etapas exigidas para que os candidatos sejam aprovados. Usualmente, o processo seletivo pode envolver, dentre outras:

  • entrevista individual;
  • dinâmica de grupo;
  • testes psicológicos;
  • avaliações básicas e técnicas;
  • entrevista com o gestor.

Essas são as etapas mais utilizadas para conhecer o candidato, mas é a organização que define quais serão mais relevantes para seu objetivo interno. Ao final do processo seletivo, o RH terá um parecer definitivo sobre os perfis mais aderentes à vaga e será feito um ranking dos aprovados para  caso aconteçam imprevistos durante as fases seguintes, possibilitando uma certa triagem até a escolha final.

 

Processo de admissão de funcionários: o passo a passo

Essa é a parte mais burocrática e costuma ser de responsabilidade do Departamento Pessoal (DP), um setor importante dentro do RH, que tem como algumas de suas responsabilidades a admissão; a folha de pagamento e os impostos referentes a ela;  benefícios; e matérias rescisórias.

Por isso, quando o RH aprova o candidato, encaminha sua ficha para que o DP realize as etapas de admissão. Apesar de burocrática, essa etapa é necessária para a verificação dos requisitos da admissão, sem os quais o candidato não se tornará parte da empresa.

 

1. A proposta

Geralmente realizado pelo time de recrutamento e seleção, esse momento se dá quando o RH entra em contato com o candidato para comunicar sua aprovação no processo seletivo e passar algumas informações importantes sobre a vaga, como o salário; os benefícios; a carga horária; os documentos necessários para a contratação; e demais tópicos pertinentes à função e à empresa.

Na maioria dos casos, o profissional concorda com tudo e já se sente parte do negócio. No entanto, é possível que o aprovado não concorde com o que foi proposto, que tenha sido admitido em outra organização durante esse período ou aceitado uma contraproposta da organização em que já trabalha, acabando por recusar o convite feito pela empresa contratante.

Com essa recusa, o RH elege o segundo melhor candidato para a posição com base no ranking feito a partir da triagem dos candidatos durante o processo seletivo. Caso essa pessoa não exista, reinicia-se todo o procedimento de seleção.

 

  1. A análise dos documentos

O DP agenda o dia para o profissional entregar a documentação e realizar o exame admissional. Essa consulta ao médico do trabalho é obrigatória para que fique constatado, por meio de um Atestado de Saúde Ocupacional (ASO), que o profissional está apto a desempenhar a função descrita. Caso tudo esteja de acordo, o DP estará pronto para realizar o próximo passo.

 

  1. O registro do funcionário

De posse dos documentos do candidato selecionado e feito o exame admissional, é o momento de registrar o colaborador no sistema da empresa, inserindo todos os dados obrigatórios para sua regularização nos órgãos públicos, assim como aqueles que serão necessários internamente, visando um acompanhamento preciso da trajetória do profissional dentro da companhia.

 

  1. O contrato de trabalho

Após o registro do funcionário, será emitido o contrato de trabalho, que funciona como um acordo oficial, estabelecendo os direitos e deveres de cada parte envolvida. Quando o funcionário é contratado sob o regime da CLT, é criado um vínculo empregatício entre as partes: o empregador e o empregado.

 

Em algumas organizações, existem os termos específicos do ramo de atuação, como outros que se tornaram comuns no mercado atual:

  • termo de confidencialidade, ética, compliance, entre outros;
  • utilização do uso da internet corporativa; e
  • recebimento de equipamentos e o comprometimento com uso adequado dos mesmos.

Com esses documentos, a empresa consegue se resguardar de problemas jurídicos futuros, caso uma dessas condições seja violada pelo colaborador. Geralmente o contrato de trabalho é assinado no 1º dia de emprego.

Além de normas legais, o contrato de trabalho é o instrumento que estabelecerá as funções e regras a serem seguidas pelo funcionário e pela organização contratante durante o tempo em que o profissional atuar na empresa e, muitas vezes, por algum tempo depois de sua saída. Por isso, é de suma importância que empresa e funcionário guardem consigo as cópias do contrato firmado.

 

  1. Integração / Onboarding

Depois de superadas as etapas burocráticas, o profissional inicia junto ao time de treinamento & desenvolvimento e inicia a sua integração na empresa, também conhecido como onboarding.

É um momento muito esperado pelo novo colaborador e pelo time que irá recebê-lo. A primeira impressão causada pela empresa é fundamental para a motivação e segurança do colaborador no desempenho de suas atividades.

Não podemos deixar de comentar que a percepção do time em relação ao novo colaborador também é muito importante. Ao se ser acolhido e ter um bom entrosamento, a curva de aprendizado será maior, assim como o engajamento e a produtividade.

Esse é o objetivo do onboarding: fornecer ao colaborador a melhor experiência inicial, de forma que ele se adapte mais facilmente nesse momento de tantas informações e desafios que uma nova oportunidade apresenta.

 

  1. Integração do novo colaborador

A integração do novo colaborador uma etapa crucial no processo de admissão. Nessa fase, o RH e o líder do setor serão os responsáveis por comunicar e integrar o recém-chegado aos demais colaboradores, a fim de manter o ambiente agradável em toda a instituição, pois é durante a etapa de integração que se percebe o nível de bem-estar e comprometimento do funcionário e demais membros da equipe.

 

  1. Apresentação da cultura organizacional

É importante que o novo funcionário entenda e conheça a cultura interna com brevidade, preferencialmente nos primeiros dias do novo trabalho, a fim de sentir o mais confortável possível durante o expediente. Com isso, o RH será responsável por apresentar alguns documentos necessários para que ele conheça os detalhes do negócio.

 

  1. Manual de políticas e normas internas

É onde todas as informações sobre as regras de funcionamento estarão presentes: utilização da área de convivência, emendas de feriados, horário de funcionamento dos setores e muitas outras normas necessárias para o dia a dia do colaborador.

 

  1. Organograma da empresa

A forma mais prática e rápida de conhecer todas as áreas e seus respectivos líderes e equipes. Assim, fica mais fácil transitar pela empresa e saber exatamente com quem tratar de cada tema ou procedimento, eliminando um pouco o medo do desconhecido.

 

  1. Lista de sistemas utilizados

Quando a pessoa é admitida e não conhece a rotina da empresa fica difícil saber por onde e como começar. Por esse motivo, apresentar a lista dos programas internos e externos que são utilizados é fundamental para um primeiro passo: e-mail, CRM´s, ferramentas de produtividade, etc.

 

  1. Treinamento

A empresa deve estar pronta para receber o funcionário e implementar um cronograma de treinamento, que deixará o profissional mais confiante em exercer suas atribuições, seja nas especificidades da empresa ou nos sistemas utilizados.

Quando a empresa se preocupa e se propõe a treinar e desenvolver os seus colaboradores de forma estruturada, todos são beneficiados. Em muitos casos, o treinamento pode se estender mesmo após o período de experiência de 90 dias, porém, podemos considerar que, após esse processo de admissão do funcionário, ele estará apto e bem integrado com a empresa para desempenhar sua rotina.

 

Conclusões sobre o processo de admissão de funcionários

Conhecer o processo de admissão de funcionários é fundamental para que o candidato entenda o que pode acontecer a partir do momento de sua aprovação e do recebimento da proposta.  Cada empresa tem sua forma de realizar essas etapas, mas a finalidade é a mesma: oferecer ao colaborador uma experiência mais tranquila ao iniciar uma nova jornada profissional, buscando facilitar um momento que é tipicamente de tensão e cheio de expectativas.

Mesmo que a sua empresa não tenha um processo de admissão robusto e estruturado, anote as possibilidades de melhoria para sugerir ao RH e sempre aplique as boas práticas para que o novo membro do seu time se sinta acolhido.

Gostou do conteúdo, quer receber outros para aumentar seu conhecimento sobre o mercado de trababalho?

Curta nossas redes sociais (FacebookInstagramLinkedInYoutube) e não perca nossas publicações!

 

Precisa de ajuda?