Arrependimento ao pedir demissão: o que fazer

Arrependimento ao pedir demissão

Está pensando em sair da empresa, mas tem medo de não conseguir uma nova colocação? Essa dúvida não é infundada. Tirar um tempo para refletir sobre suas perspectivas e futuro profissional é essencial para evitar o arrependimento ao pedir demissão.

Muitas vezes, esse arrependimento é resultado de uma decisão precipitada, baseada em uma insatisfação ou conflito pontual no ambiente de trabalho.

Esse arrependimento também pode ocorrer quando a pessoa muda de emprego em busca de novas oportunidades de crescimento e descobre que não é compatível com a cultura da nova empresa.

Nesses casos, quando a pessoa realmente para e pensa nos prós e contras da decisão, pode perceber que cometeu um erro em optar pelo desligamento voluntário. Por isso, é importante refletir sobre as razões e consequências da demissão antes de formalizar esse pedido.

Embora não seja um assunto muito comentado, aqueles que já pediram demissão também podem se arrepender dessa decisão.

Portanto, se você faz parte desse grupo, saiba que não está sozinho. Nesse caso, o que você precisa é de orientação para saber o que fazer para retomar seu emprego ou seguir em frente.

Pensando nesses dois cenários, neste artigo explicaremos o que fazer para não se arrepender ao pedir demissão, e como agir quando perceber que se arrependeu de ter pedido demissão.

 

O que significa pedir demissão?

O primeiro passo para entender o que fazer em caso de arrependimento ao pedir demissão é compreender os aspectos legais desse pedido, ou seja, o que diz a lei sobre o assunto.

Segundo a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o pedido de demissão significa comunicar formalmente ao empregador o desejo de encerrar o contrato de trabalho.

Ou seja, além de comunicar essa decisão ao gestor, o funcionário precisa formalizá-la. Isso deve ser feito por meio da entrega de uma carta de demissão ao setor de Recursos Humanos (RH).

Depois disso, o funcionário ainda precisa cumprir o aviso prévio trabalhando ou pagar uma indenização equivalente ao período de aviso não cumprido.

Após esse processo, empresa e funcionário ainda precisam revisar e organizar todos os documentos e pertences relacionados ao seu emprego atual. Isso pode incluir contratos de trabalho, registros de horas trabalhadas, documentos de seguro, entre outros.

Além desse aspecto burocrático, o pedido de demissão ainda exige que a empresa pague alguns direitos trabalhistas, como salário proporcional, férias proporcionais e 13º salário.

Para a empresa, o desligamento voluntário de um funcionário também exige a reorganização do fluxo de trabalho e a transferência de suas responsabilidades para os demais colaboradores ativos, ou até mesmo a contratação de um novo colaborador.

Em outras palavras, não basta falar para a liderança que quer sair do emprego. Pedir demissão é um processo que envolve burocracia, esforço e gastos, especialmente para o empregador. Por isso, é importante pensar bem antes de tomar essa decisão.

 

Pedi demissão e me arrependi. E agora?

Quem pede para sair do emprego e se arrepende dessa decisão pode ter várias dúvidas sobre o que pode ou não fazer nessa situação.

Confira abaixo as respostas para as principais perguntas sobre esse assunto.

 

O que diz a lei sobre a revogação do pedido de demissão?

De acordo com o artigo 489 da CLT, o trabalhador pode desistir do processo de demissão até o fim do aviso prévio. Caso ela aceite, o contrato de trabalho desse funcionário continuará ativo como se ele não tivesse recebido um aviso prévio.

arrependimento ao pedir demissão

Por outro lado, se o trabalhador já tiver cumprido o aviso prévio e a empresa aceitar o seu retorno após esse período, ele terá que ser recontratado. Isso porque, nesse caso, o processo de demissão foi concluído. Sendo assim, o trabalhador precisará passar pelo processo de admissão novamente.

No entanto, a empresa não é obrigada por lei a aceitar a revogação do pedido de demissão do funcionário, nem contratá-lo de novo. Essa decisão depende dos gestores e das políticas internas da empresa.

 

É possível voltar atrás no pedido de demissão?

Sim, é possível voltar atrás no pedido de demissão. Conforme explicado, se o trabalhador se arrepender dessa decisão antes do fim do aviso prévio, ainda é possível reverter o processo demissional.

No entanto, se a pessoa se demitiu e se arrependeu apenas após o aviso ter sido finalizado, ela deverá ser recontratada.

 

Como voltar atrás do pedido de demissão?

Se arrependeu de pedir demissão e está pensando em como abordar a empresa para tratar desse assunto? Então, você precisa de algumas orientações.

Primeiro, antes de entrar em contato com seu antigo empregador, é importante ativar sua rede de contatos e tentar descobrir se a sua vaga já foi preenchida.

Afinal, as chances de ser recontratado são baixas nesse caso. Nessa situação, o mais indicado é começar a buscar uma nova colocação no mercado de trabalho.

Agora, se a vaga ainda está aberta, vale a pena tentar uma nova oportunidade. O ideal é começar fazendo uma “sondagem” sobre o assunto.

Para isso, você pode entrar em contato com o gestor, o RH ou outro contato relevante da sua antiga empresa e mencionar que tem interesse em retornar a sua posição.

Isso pode ser feito de forma mais informal pelo WhatsApp, LinkedIn ou e-mail, por exemplo. Dependendo do grau de proximidade, é recomendado agendar um café para uma conversa pessoalmente.

Durante uma conversa informal, explique suas motivações e pergunte para esse contato o que ele pensa sobre sua decisão, e se você tem chances de ser recontratado.

Caso você receba um retorno positivo, o próximo passo é formalizar esse pedido. Nesse caso, a recomendação é escrever um e-mail profissional e estratégico, explicando porque deseja voltar e o que a empresa ganha com o seu retorno.

Não deu certo? Está na hora de buscar novas oportunidades!

Mesmo seguindo as dicas anteriores, talvez você não consiga voltar para o seu antigo emprego. Nesse caso, o ideal é levar o seu tempo para assimilar essa recusa e se preparar para buscar novas oportunidades.

Melhorar o currículo, se preparar para as entrevistas e ativar seu networking é essencial nesse processo. Contar com o apoio de um mentor de carreira e um job hunter também pode facilitar essa busca e acelerar seu retorno ao mercado de trabalho.

 

Como evitar o arrependimento ao pedir demissão?

Conforme explicado, pedir demissão é um processo burocrático que pode ser cansativo e caro tanto para a empresa quanto para o profissional.

Para evitar arrependimentos e lidar melhor com os sentimentos de incerteza e insegurança que costumam acompanhar essa decisão, o ideal é seguir as dicas abaixo antes de tomar essa decisão:

    • Faça uma lista com as razões para querer deixar o emprego atual e avalie se elas realmente têm fundamento e se podem ser resolvidas de alguma forma;
    • Analise as consequências profissionais, financeiras, físicas e sociais de pedir demissão a curto e a longo prazo;
    • Pesquise quais as alternativas de trabalho disponíveis caso você decida pela demissão;
    • Mantenha um bom planejamento financeiro e crie uma reserva de emergência mesmo que ainda não saiba se quer sair da empresa;
    • Busque conselhos de pessoas de confiança, como mentores e orientadores profissionais, para ter acesso a uma perspectiva externa sobre sua situação e ajudá-lo a tomar uma decisão informada;
    • Pense sempre no seu plano de carreira e como essa decisão está alinhada ao que você considera como sucesso.

 

Vale lembrar que, mesmo após decidir pela demissão, é normal se sentir ansioso ou inseguro sobre o futuro. Seja qual for sua decisão, o importante é fazer uma escolha consciente e se preparar para lidar com suas consequências.

Precisa de ajuda com o seu processo de transição de carreira e recolocação profissional? Entre em contato com a equipe da Sim Carreira e veja como podemos te ajudar!

arrependimento ao pedir demissão

CEO de Empresa de Recrutamento e Seleção e Headhunter Especializado

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Política de Cookies
Utilizamos cookies em nosso site para oferecer a você a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas e ajudando a economizar dados. Ao clicar em “Aceitar Cookies”, você concorda com o uso de cookies. Mais informações podem ser encontradas na Política de Privacidade do Site.