Como demitir um funcionário: desligando um colaborador

Desligando um colaborador

Você sabia que um bom gestor não é analisado somente pela forma que conduz a equipe, mas, principalmente, se ele sabe como demitir um funcionário?

Aliás, essa talvez seja a tarefa mais difícil de um cargo de liderança, pois a empatia e o respeito devem fazer parte desse processo para que a situação não se torne um momento traumático para ambas as partes.

É importante que o gestor encontre um equilíbrio para que a objetividade do processo não seja confundida com arrogância e para que as emoções não fiquem à flor da pele. Qualquer descuido pode tornar a situação já complexa e delicada, ainda mais desconfortável.

Por isso é tão importante implementar o offboarding nas organizações e realizar um processo de desligamento humanizado.

Para aprimorar o processo de demissão humanizada, neste conteúdo vamos conhecer os tipos de demissão (de acordo com a CLT), dicas de como demitir um funcionário, e o que não fazer nesse momento. Confira!

 

Tipos de demissão

A Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT contempla 5 tipos de demissões. Ao se perguntar como demitir um funcionário contratado em regime celetista, resumimos abaixo modalidades trazidas pela legislação:

 

  1. Demissão sem justa causa

A dispensa sem justa causa acontece exclusivamente por iniciativa do empregador. É uma decisão da empresa que não acontece por má-conduta do empregado.

Nesse caso, ao colaborador são garantidos todos os direitos referentes à quebra de contrato por parte do empregador: verbas rescisórias; aviso prévio indenizado; proporcionais de férias e décimo terceiro; saldo de salário; saldo de FGTS; multa de 40% (como penalidade por dispensa sem motivo) sobre o FGTS; e possibilidade de solicitar o seguro-desemprego.

 

  1. Dispensa por justa causa

Ao contrário da forma anterior, a demissão por justa causa acontece quando o colaborador descumpre alguma regra da empresa ou infringe quaisquer normas contidas no Artigo 482 da CLT.

Para a consumação do processo rescisório é importante que o empregador tenha provas comprobatórias da má-conduta.

Quando tal dispensa acontece, o funcionário tem seus direitos reduzidos e receberá somente os valores relativos ao saldo dos dias trabalhados e férias vencidas, caso o trabalhador as tenha.

 

  1. Comunicado de demissão (“pedido de demissão”)

Trata-se da forma na qual o desligamento se dá por iniciativa exclusiva do empregado, que comunica sua demissão ao empregador. Essa forma é conhecida popularmente como o ato de “pedir demissão”, mas não se trata de um pedido, mas de uma comunicação, já que, claro, o empregador não tem o direito de “negar o pedido” e reter o empregado contra sua vontade.

Quando o empregado comunica sua demissão, ele perde os seguintes benefícios: saque do FGTS, indenização dos 40% da multa do FGTS e a possibilidade de solicitar seguro-desemprego.

Portanto, o colaborador que “pede demissão” receberá apenas o saldo de salário, as férias proporcionais, acrescidas de 1/3 e o 13º salário proporcional.

 

  1. Acordo entre as partes

Acontece quando o empregado solicita ao empregador a rescisão de contrato sem justa causa, recebendo todas as verbas correspondentes, e se compromete em devolver o valor referente a multa de 40% do FGTS.

Geralmente esse acordo acontece quando ambas as partes têm uma relação de cordialidade e confiança.

 

  1. Demissão consensual

Essa modalidade foi aprovada na Reforma Trabalhista e estabelece um acordo formal entre as partes para que aconteça a rescisão contratual.

Nesse caso, o colaborador recebe todas as verbas relativas ao pedido de demissão, acrescido de 20% de multa do FGTS e poderá movimentar até 80% do saldo do fundo.

No entanto, o funcionário perde o direito ao seguro-desemprego. As férias, o 13º salário e o aviso-prévio são pagos na metade do valor.

 

Dicas de como demitir um funcionário

Agora que você sabe quais são os tipos de demissão que podem ser feitas no caso de contratações regidas pela CLT, vamos conhecer algumas das melhores práticas em como demitir um funcionário, de tal modo que o processo de desligamento aconteça da melhor forma possível.

 

Escolha a hora e o local certos

Esse é um momento delicado e é preciso privacidade para que o diálogo aconteça sem interrupções. Mesmo com as novas formas de trabalho, não é ético realizar essa conversa por mensagem ou e-mail. Afinal, mesmo em um processo rescisório, o funcionário merece consideração e a oportunidade de ouvir e ser ouvido. Caso não seja possível dispensar o colaborador pessoalmente, é indicado que essa dispensa se dê por videoconferência.

 

Seja objetivo e educado

É fundamental que o gestor seja objetivo quanto à rescisão. Esse não é um momento de oferecer feedback, pois isso deveria ter sido feito anteriormente em avaliações de desempenho e sessões de feedbacks para tentar resolver as eventuais questões.

Dito isso, um processo de desligamento não deveria ser surpresa para nenhuma parte.

Esse momento de demitir um funcionário deve ser um comunicado, pois não há mais dada o que ser feito. Portanto, seja respeitoso, objetivo e sempre educado.

 

Mantenha o profissionalismo

Mesmo que durante o tempo na empresa tenha existido um laço de amizade entre o gestor e o funcionário ou seus colegas, é importante que, nessa hora, esses sentimentos não se confundam para que tudo aconteça de forma profissional e não interfira na continuidade da relação fora da empresa.

 

Controle as emoções

Independentemente do motivo da demissão, é necessário ter inteligência emocional, pois o funcionário desligado pode perceber sua insegurança e alterar seu comportamento.

É preciso ter calma e segurança na hora de falar e explicar sobre todas as etapas da rescisão. Assim, é mais fácil manter o controle de toda a situação.

 

Esteja pronto para os imprevistos

Cada ser humano reage de uma forma em momentos como esse. Por isso, esteja preparado para as mais diversas reações do colaborador e respeite o momento dele.

Muitas coisas passam pela mente do funcionário que está sendo desligado e é importante que ele tenha o seu momento de fala e expresse o que está sentindo, assim como esclareça todas as dúvidas que possam existir.

 

Informe a equipe após a demissão do empregado

É importante que o gestor tenha o cuidado de comunicar a equipe sobre a demissão de forma objetiva, mas sem expor o ex-funcionário. A transparência na comunicação é fundamental para evitar especulações e manter a equipe unida para superar a redução no quadro.

 

Erros que não devem ser cometidos no momento da demissão  

Ainda é muito comum que as dicas acima não façam parte da rotina de demissão em algumas empresas. Ao se questionar em como demitir um funcionário, existem alguns erros muito comuns que podem prejudicar o processo de desligamento significativamente. Confira a seguir e evite esses erros comuns ao demitir um funcionário:

 

Não planejar a demissão

Com o RH 4.0 sendo um setor cada vez mais estratégico, não planejar uma demissão vai contra todas as regras dessa evolução.

Caso isso aconteça, não haverá tempo hábil para preparar tudo o que precisa ser dito e pode parecer que o improviso é falta de transparência, deixando todo o processo bem mais tenso do que deveria ser.

 

Dar feedback no momento da demissão

Muitos gestores acreditam que dar feedback no momento da demissão vai melhorar o processo, mas isso não é verdade!

Se não houve um acompanhamento do profissional com avaliações de desempenho e feedbacks constantes sobre sua performance anteriormente, despejar tudo na hora da demissão só fará com que o funcionário pergunte: “Por que você não me disse tudo isso enquanto eu ainda estava aqui?”.

 

Ser Emotivo

Em um momento delicado como esse é importante deixar a emoção de lado e cumprir com o que precisa ser feito. Por isso é tão importante planejar a demissão, pois os argumentos precisam ser sólidos e resgatar todas as avaliações anteriores vai fornecer a base necessária para que a conversa seja objetiva e clara.

 

Terceirizar a decisão de demissão

O gestor precisa tomar as rédeas do processo e deveria ser o responsável para comunicar o desligamento. Trata-se de uma tarefa delicada que não deve ser delegada.

 

Desligamento do Funcionário

Saber como demitir um funcionário faz parte de uma das etapas mais difíceis no mundo corporativo. Portanto, conhecer as boas práticas e o que não deve ser feito nesse momento são elementos que ajudam muito a suavizar todo o processo.

Ao entender como demitir um funcionário, também pode ser interessante aplicar o processo de offboarding, que é o processo de saída do funcionário da empresa através de uma demissão humanizada.

Caso sua empresa busque apoio neste processo e entenda os benefícios em contratar uma consultoria de outplacement para apoiar esse profissional em uma transição de carreira ou recolocação profissional, assim como realizar um processo de recrutamento e seleção especializado, ágil e assertivo para substituir o profissional desligado, entre em contato com os headhunters da Sim Carreira.

 

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Política de Cookies
Utilizamos cookies em nosso site para oferecer a você a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas e ajudando a economizar dados. Ao clicar em “Aceitar Cookies”, você concorda com o uso de cookies. Mais informações podem ser encontradas na Política de Privacidade do Site.