EnglishPortugueseSpanish
EnglishPortugueseSpanish

Como pedir demissão: processo de rescisão

como pedir demissão carta de rescisão

Novas oportunidades acontecem para quem está pronto para assumi-las, isto é, para aqueles profissionais que são protagonistas da própria carreira. Ao optar por uma mudança para uma nova oportunidade, o profissional também se vê diante do encerramento de um ciclo e a pergunta que muitas pessoas fazem para si é: como pedir demissão sem manchar a minha imagem e deixando as portas abertas perante a organização da qual estou saindo? Como se faz uma carta de rescisão e como funcionará esse momento de demissão?

Neste artigo, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre os passos do processo no qual o profissional está se desligando da empresa. Confira as dicas de como fazer com que a sua saída seja apenas uma etapa natural de um processo de transição de carreira após pedir demissão e entregar a carta de rescisão. Não perca a leitura!

 

Como pedir demissão

O tempo em que as pessoas permaneciam por longos anos atuando na mesma organização não reflete a atualidade, pois é mais comum para profissionais da Geração Y. Hoje em dia, os profissionais buscam sair da zona de conforto e querem cada vez mais desafios, novas experiências e um crescimento acelerado da carreira.

Então, mesmo empregados, muitos colaboradores mantêm seu currículo disponível no mercado, seu networking sempre ativo e investem em seus projetos, permanecendo atualizados e valorizados para o caso de uma nova oportunidade interessante aparecer.

Essa prática tende a facilitar o aparecimento de propostas para novos desafios, dentre as quais pode estar aquela que parece ser quase irrecusável, mas que traz com ela a necessidade de encerrar o vínculo atual. Chegou a hora de comunicar à empresa e se atentar a todas as etapas que envolvem um desligamento de um emprego sob o regime CLT. Vamos conhecê-las!

 

Tenha certeza de que essa é a melhor opção

Autoconhecimento é fundamental quando estamos diante de escolhas importantes para a vida. Portanto, se todas as suas opções já se esgotaram na empresa atual, ou se ela não é exatamente o que você esperava ou espera para o seu futuro, talvez as dúvidas sejam menores.

Mas, se tudo deu certo até o momento, e o que você precisa é de novos desafios e motivação, sopesar os prós e os contras faz parte do processo. Avalie com cautela quais são as suas metas de vida, seus objetivos pessoais e profissionais, assim como suas prioridades, e entenda qual oportunidade tende a te levar mais próximo ao que você busca, tendo em mente os riscos de ficar ou de mudar de empresa.

Ao se perguntar como pedir demissão, lembre-se que você é quem viverá com as consequências e implicações da decisão, então, mesmo que ouça outras opiniões, a responsabilidade pela decisão final deve ser sua.

 

Converse com seu gestor

O seu líder precisa saber o que está acontecendo, pois a razão para sua saída pode ser fruto de um aborrecimento que pode ser ajustado ou resolvido antes de uma decisão mais drástica de falar sobre desligamento.

Ao decidir que você se desligará da empresa, é importante lembrar que, apesar do senso comum falar em “pedir demissão”, a demissão é um ato unilateral do funcionário e não está sujeito à autorização do empregador. É o profissional quem decide para quem ele venderá a sua força de trabalho. Então, em verdade, demissão não se pede, mas se comunica.

No entanto, “sair de portas abertas” tende a ser o melhor caminho, então a forma como você fará essa comunicação ao seu gestor é essencial para a manutenção de um bom relacionamento.

O gestor direto é a primeira pessoa com a qual você deve falar da sua decisão de deixar a empresa e é sempre possível que ele o traga uma contraproposta e palavras para massagear o seu ego em uma tentativa de reverter a sua decisão. Entretanto, geralmente trata-se de uma medida paliativa que não resolve as suas dores naquele ambiente ou que será capaz de te alavancar para mais próximos dos seus objetivos. Ainda assim, mesmo que o gestor venha a resolver alguma questão específica, mas isso pode ser visto como um sinal negativo de que as coisas mudaram apenas depois de uma medida drástica, como a comunicação da sua saída, para que o gestor ou a empresa tomasse alguma ação concreta.

Quando conversar com seu gestor, não deixe de ressaltar a gratidão e todo aprendizado que teve naquela função, com aquele time e com a empresa, pois as experiências contribuíram para o seu crescimento. Atitudes como esta mostram amadurecimento e empatia, qualidades importantes para que você saia e deixe as portas abertas, além de evitar possíveis comentários entre os demais funcionários e especulações desnecessárias.

E não se esqueça: deixe para falar com os colegas de trabalho depois que tudo estiver formalizado com seu gestor!

 

Comunique ao RH

A segunda parte interessada nesse processo é o setor de Recursos Humanos, aonde todas as demais etapas serão realizadas, principalmente pelo Departamento Pessoal, um dos subsistemas de RH.

Nesta fase, os protocolos de desligamento serão realizados para que tudo aconteça de forma tranquila e dentro dos prazos e valores de direito estabelecidos por lei.

Atualmente, com o RH 4.0 em plena ascensão, alguns processos são realizados de forma que a empresa colete a maior quantidade possível de informações sobre as razões que te levaram a sair, o que acontece para que e o setor e a empresa tentem melhor o processo de retenção.

 

Etapas do desligamento

Um contrato de trabalho é um contrato entre ambas as partes, então, como já mencionamos, a empresa não possui autoridade para negar uma demissão. Por isso, veremos abaixo os passos para a grande dúvida que muitos tem, como pedir demissão, para que o seu desligamento seja concluído da melhor forma possível.

 

Decisão

O primeiro passo é estar seguro quanto a decisão de desligamento. Avalie bem os seus objetivos e as alternativas antes de comunicar uma decisão importante como essa. Não tome essa decisão de forma precipitada.

 

Comunicado ao Gestor Direto

Ao decidir que o comunicado de desligamento é o melhor caminho, marque um horário para conversar com o seu gestor direto para comunicar da sua decisão de sair da empresa.

Alinhe a necessidade de cumprir o aviso prévio e faça uma boa passagem de bastão (handover) para que o trabalho em andamento tenha continuidade com outro profissional mesmo após a sua saída.

Saia de “portas abertas”, com profissionalismo e mantendo um bom relacionamento.

 

Aviso prévio

É importante que o colaborador informe sua saída com tempo suficiente para que a empresa consiga se preparar para sua saída e consiga delegar as suas atividades para um novo profissional nesse processo de transição. Geralmente é esperado um aviso de 30 dias de antecedência, mas, na prática, uma ou duas semanas tendem a ser o suficiente.

Caso um aviso prévio não seja possível, o funcionário deve estar ciente de que o valor poderá será descontado em sua rescisão contratual. Caso você tenha uma proposta de outra empresa em mãos e você a apresente ao RH, nenhum valor referente a falta de aviso prévio poderá ser descontado. Portanto, fique atento!

 

Carta de demissão

Esse é o documento indispensável para uma comunicação formal de desligamento, afinal, seu gestor e o RH já sabem de sua decisão e a carta vai documentar essa etapa, para que, juridicamente, você comprove que a decisão é sua em se desligar da empresa.

A carta de rescisão é um documento obrigatório quando o pedido parte do funcionário. Quando o desligamento é por decisão da empresa, o processo é outro.

O documento deve ser redigido de próprio punho pelo colaborador e devem constar as seguintes informações:

  • nome da empresa;
  • nome do responsável (pode ser o seu gestor ou o responsável no RH da empresa);
  • solicitação do desligamento do cargo (indicando qual o seu cargo);
  • informação sobre o tempo que dará de Aviso Prévio;
  • local e Data (com dia, mês e ano);
  • nome completo e Assinatura.

Como é um documento formal, procure ser objetivo, não é o momento de escrever sobre o que foi bom e ruim durante sua experiência na empresa, pois ele ficará arquivado na empresa e deve constar apenas o essencial para dar prosseguimento ao processo.

Abaixo, colocamos um exemplo que poderá apoiar você na elaboração da sua carta de rescisão.

 

Carta de rescisão: exemplo

[Cidade, UF, data]

À [Nome da Empresa]

Att: [Nome do Gestor] e RH

Assunto: Comunicado de Rescisão

 

Prezados,

 

Venho por meio desta carta comunicar formalmente minha demissão e a rescisão do meu contrato de trabalho, desligando-me do cargo de [Nome do Cargo] na [Nome da Empresa], e informando que cumprirei [Número de dias] dias como aviso prévio, a ser encerrado no dia [dia da semana], data [dd/mm/aaaa].

 

Durante todo o tempo que estive junto à empresa, aprendi muito e certamente levarei com carinho todas as pessoas e experiências que tive aqui.

 

Agradeço imensamente a oportunidade e desejo sucesso a todos.

 

Atenciosamente,

 

[Assinatura]

[Nome completo]

 

Exame e entrevista de desligamento

Após a carta de rescisão e ao sair da empresa, o profissional deve passar pela entrevista de desligamento. Afinal, o RH precisa analisar os motivos que o fizeram entrar e sair da organização. Esses dados são importantes para traçar novas estratégias de retenção de talentos. O profissional deve prestar atenção neste momento. Feedback construtivo é importante para que a empresa consiga entender e passar por uma evolução constante, mas se deve ter cuidado para não falar mal da empresa e “queimar pontes” durante o seu processo de saída.

O exame demissional é necessário para que fique documentado que o colaborador saiu da empresa em plenas condições de saúde e tende a ser um exame básico e rápido.

 

Recebimento das verbas rescisórias

Agora que você compreendeu as etapas que antecedem o desligamento e os deveres que um profissional contratado em regime CLT deve cumprir, está na hora de conhecer seus direitos quanto às verbas rescisórias. Vamos destacar os principais:

  • saldo de salário;
  • décimo terceiro proporcional;
  • férias proporcionais e, caso tenha alguma pendência, ela também deve ser paga;

Lembrando que, ao pedir demissão, o profissional perde o direito ao saque do FGTS e ao recebimento do auxílio desemprego.

 

Após a saída da empresa

Comunicar o desligamento não precisa ser uma etapa árdua na vida do profissional. Mesmo tendo a certeza de que é a melhor escolha, essa etapa é sempre um momento difícil. Abaixo colocamos mais duas dicas para ajudar ainda mais nesse encerramento de ciclo.

 

  1. Não fale mal da empresa

Mesmo que a sua experiência não tenha sido tão positiva quanto o esperado, falar mal da empresa pode causar um desconforto na empresa atual e manchar a sua imagem, pois, se hoje você está falando mal do seu antigo empregador, amanhã você poderá ser a pessoa a falar mal da organização na qual acabou de ingressar.

Outro problema é que isso também pode prejudicá-lo juridicamente, pois, caso a organização da qual você se desligou lhe solicitou a assinatura de termos de confidencialidade, ele poderá ser imposto se dita empresa se sentir prejudicada pelas suas declarações.

 

  1. Peça referência aos seus gestores e colegas de trabalho

Caso a saída não tenha sido por problemas de relacionamento, o ciclo deve ser encerrado somente entre funcionário e empresa e não entre colegas de trabalho.

Por isso, encerre o ciclo de forma positiva. Peça feedbacks dos seus colegas e gestores. Sem dúvidas, serão essenciais para eventuais referências profissionais ou até mesmo networking, aumentando o seu potencial de crescimento na carreira.

 

Conclusão

Nesse conteúdo você percebeu que o processo de desligamento não precisa ser um momento complicado na vida de um profissional, mas a forma de como pedir demissão e entregar a sua carta de rescisão faz muita diferença quando se deseja deixar as portas abertas e uma imagem positiva perante a organização da qual a pessoa decidiu sair.

Portanto, se você anda pensando no assunto de recolocação profissional ou transição de carreira, conte com o time da Sim Carreira para apoiar você nesse processo!

 

 

Precisa de ajuda?