Ato de indisciplina ou insubordinação: o que é e como lidar

Ato de indisciplina ou insubordinação

Lidar com um ato de indisciplina ou insubordinação no ambiente de trabalho é um dos grandes desafios das empresas. Um dos motivos para isso é que a própria definição desses atos gera dúvidas, já que ambos são muito parecidos.

E se os gestores não entenderem as diferenças entre eles, também vão ter dificuldade para fazer a gestão humanizada das consequências dessas condutas e adotar estratégias eficazes para preveni-las.

Neste artigo, vamos responder às principais dúvidas sobre esse assunto e compartilhar algumas dicas para te ajudar a evitar problemas ou atos de indisciplina e insubordinação na empresa.

 

O que é ato de indisciplina ou insubordinação?

Os atos de indisciplina e insubordinação se referem a comportamentos e ações inadequadas dos funcionários no ambiente de trabalho.

Embora os dois tipos de atos se refiram ao mesmo tema, existem algumas diferenças importantes entre o ato de indisciplina e o ato de insubordinação.

Entenda essas diferenças a seguir:

O que é considerado indisciplina?

A indisciplina ocorre quando as ações do colaborador violam as normas internas da empresa ou as regras relacionadas a sua função.

Não assinar o registro de ponto de forma proposital, desrespeitar normas de segurança, destratar colegas e deixar de exercer suas responsabilidades para “punir” a empresa por não conseguir um aumento, são alguns exemplos de atos de indisciplina no trabalho.

E insubordinação?

A insubordinação acontece quando o funcionário se recusa a obedecer às ordens legítimas dadas por seus superiores hierárquicos. Ou seja, a insubordinação ocorre quando o colaborador não cumpre uma ordem direta do seu superior.

Se recusar a executar alguma tarefa e desrespeitar as decisões dos superiores são alguns exemplos de atos de insubordinação no trabalho.

É importante destacar que para ser considerada como insubordinação, o comportamento ou ação do funcionário descumpre uma ordem dada diretamente a ele.

Por isso, quando o empregado descumpre ordens dadas a todos os funcionários, suas ações inadequadas são classificadas como indisciplina.

 

O que diz a CLT sobre indisciplina e insubordinação?

Os atos de indisciplina e insubordinação estão previstos no Artigo 482 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Embora o texto não caracterize especificamente esses atos, ele lista todos os motivos que podem justificar a rescisão do contrato de trabalho do funcionário.

Um desses motivos são justamente os atos de indisciplina e insubordinação. Por esse motivo, a empresa pode determinar a demissão por justa causa de funcionários que adotam condutas ou comportamentos inadequados mencionados anteriormente.

Vale lembrar que a empresa precisa reunir provas que confiram as práticas inadequadas do funcionário indisciplinado ou insubordinados. Isso é fundamental para justificar sua demissão e evitar problemas com a Justiça do Trabalho.

 

Como a empresa deve lidar com atos de indisciplina ou insubordinação no trabalho?

A demissão por justa causa é a punição mais severa para funcionários indisciplinados ou insubordinados. Isso porque ela impacta tanto a empresa quanto o colaborador.

O desligamento do empregado pode impactar o fluxo de trabalho e gerar custos para a empresa, além de prejudicar a autonomia e a renda do trabalhador.

Por isso, o ideal é que a empresa adote outras estratégias para lidar com esse tipo de funcionário antes de decidir pela sua demissão.

Uma vez comprovada a indisciplina ou insubordinação, é necessário fazer uma reunião com o trabalhador para explicar sua conduta inadequada e ouvir o que ele tem a dizer sobre sua infração. Essa conversa serve como uma advertência verbal ao colaborador.

Caso isso não funcione, a empresa poderá aplicar advertências escritas. Se o colaborador não corrigir suas ações e comportamentos mesmo após essas advertências, a empresa pode suspender o funcionário. Somente depois disso, ela pode demitir o colaborador por justa causa.

 

O que a empresa pode fazer para evitar atos de indisciplina ou insubordinação?

Os principais ativos de uma empresa são os funcionários, ou seja, pessoas. E lidar com pessoas é sempre um desafio, já que nem sempre é possível prever ou antecipar quem apresentará um comportamento inadequado.

Por esse motivo, é impossível eliminar completamente problemas relacionados à indisciplina e à insubordinação no ambiente de trabalho.

No entanto, as empresas podem adotar estratégias para reduzir as chances de enfrentar esses problemas e suas consequências.

Confira abaixo as principais estratégias para minimizar um ato de indisciplina ou insubordinação na empresa:

    1. Criar políticas internas eficientes;
    2. Melhorar a comunicação interna;
    3. Adotar a cultura do feedback;
    4. Reconhecer e recompensar comportamentos positivos;
    5. Investir em treinamentos sobre comunicação não violenta;
    6. Aumentar a eficiência do processo de recrutamento e seleção.

 

 

6 estratégias para evitar ato de indisciplina ou insubordinação

1.    Criar políticas internas eficientes

Um dos benefícios de elaborar políticas internas da empresa é definir regras claras para orientar as condutas e os comportamentos aceitáveis no ambiente de trabalho.

O objetivo não é limitar a liberdade ou a personalidade do colaborador, mas criar um padrão de conduta que deve orientar as ações de todos os funcionários da empresa.

Isso facilita a comunicação das expectativas da organização em relação ao comportamento dos colaboradores, permite feedbacks mais precisos e ajuda a fortalecer a cultura organizacional.

2.    Melhorar a comunicação interna

A empresa precisa compartilhar suas políticas internas para os funcionários. Caso contrário, eles não vão adotar as normas de conduta e comportamentos esperados pela organização.

Por isso, é importante utilizar os canais de comunicação internos para divulgar as expectativas comportamentais e as regras de conduta e convivência da empresa.

Se possível, o ideal é preparar materiais mais explicativos. Podem incluir vídeos, resumos e e-books, para ajudar os colaboradores a entenderem quais as expectativas da empresa em relação ao seu comportamento.

3.    Adotar a cultura do feedback

Outra estratégia eficiente para melhorar a comunicação interna e evitar conflitos é adotar uma cultura de feedback. Para isso, a empresa precisa incentivar a comunicação aberta e transparente entre funcionários e gestores.

Uma das formas de estimular essa prática é criar canais de comunicação eficazes para que os funcionários possam fornecer feedback e expressar problemas e preocupações sem medo de retaliação.

Isso facilita a identificação e a solução de problemas antes que os conflitos se tornem maiores.

4.    Reconhecer e recompensar comportamentos positivos

Criar um ambiente de trabalho em que os funcionários se sintam valorizados pode ajudar a reduzir condutas de indisciplina ou insubordinação.

Para criar esse ambiente, a empresa pode definir premiações, recompensas e até bonificações para os colaboradores que se destacam por seus resultados, desempenho e comportamentos positivos.

Esse reconhecimento pode estimular os funcionários da empresa a se tornarem mais produtivos e eficientes, além de melhorarem suas condutas no ambiente de trabalho.

5.    Investir em treinamentos sobre comunicação não violenta

Problemas de comunicação são alguns dos principais responsáveis por prejudicar carreiras e relacionamentos dentro das empresas. Afinal, esses problemas podem causar desentendimentos no ambiente de trabalho.

Em casos mais graves, esses mal-entendidos podem evoluir para conflitos verbais e até físicos, caracterizando atos de indisciplina e subordinação.

Alguns desses conflitos poderiam ser evitados se as pessoas simplesmente soubessem ouvir o outro e se expressar de forma mais empática e assertiva. No entanto, nem todos têm a oportunidade ou a curiosidade de aprender a se comunicar melhor, habilidade que pode ser desenvolvida.

Para estimular esse desenvolvimento, as empresas podem promover treinamentos para ajudar seus funcionários a aplicar os princípios da Comunicação Não Violenta (CNV) no trabalho.

Isso pode ajudar os colaboradores a vencerem os desafios de comunicação típicos do mundo corporativo, contribuindo para a melhora do clima organizacional e para a humanização da empresa.

6.    Aumentar a eficiência do processo de recrutamento e seleção

A prevenção de problemas relacionados a condutas indisciplinares ou de insubordinação deve começar ainda na fase de recrutamento e seleção.

Afinal, é possível estruturar o processo seletivo de modo que ele permita a avaliação das condutas, comportamentos e até o caráter dos candidatos.

Isso pode ser feito por meio da análise de referências pessoais, aplicação de testes de perfil comportamental, entrevistas, entre outras estratégias que facilitam a identificação das soft skills dos profissionais.

Assim, a empresa evita a contratação de indivíduos com condutas indisciplinares ou de insubordinação no ambiente de trabalho. Consequentemente, evolui no processo seletivo e acaba por contratar melhores profissionais.

Precisa de ajuda para acertar na contratação de funcionários? Entre em contato com a Sim Carreira e conheça nossas soluções!

indisciplina ou insubordinação

CEO de Empresa de Recrutamento e Seleção e Headhunter Especializado

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Política de Cookies
Utilizamos cookies em nosso site para oferecer a você a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas e ajudando a economizar dados. Ao clicar em “Aceitar Cookies”, você concorda com o uso de cookies. Mais informações podem ser encontradas na Política de Privacidade do Site.